sexta-feira, 14 de setembro de 2018

PESQUISA PARA DEPUTADO DISTRITAL: REGISTRO NO TRE – DF, NÚMERO 07981/2018


METADE DOS ELEITORES NÃO SABE EM QUEM VOTAR PARA DISTRITAL


Por: Walter Brito
974 candidatos a deputado distrital estão nas ruas, na tv, no rádio e nas redes sociais pedindo votos para se tornar um dos 24 eleitos para o novo parlamento distrital. São mais de 40 candidatos por vaga; portanto, trata-se da eleição mais acirrada de nossa história política.
As mulheres candidatas, baseadas em pesquisa qualitativa, que aponta o sexo feminino como protagonista no pleito de 7 de outubro, apostam que farão uma bancada feminina nunca vista naquela casa de leis. Algumas se entusiasmam e afirmam com convicção que almejam ocupar metade das 24 cadeiras no parlamento candango.
Argumentam as candidatas que a mulher tem mais responsabilidade com a coisa pública. Além disso, ilustram suas teses com um número insignificante de mulheres condenadas e presas na Operação Lava Jato, pois a maioria quase absoluta é formada por homens. Outra questão é que a Lei Maria da Penha está obsoleta e não atende mais o clamor feminino   de forma efetiva, pois a violência contra a mulher aumenta a cada dia, especialmente o assassinato, quando a maioria se dá por meio dos maridos, companheiros e namorados.
Aproveitando o gancho da metade de vagas pretendidas pelas mulheres na disputa da Câmara Legislativa do DF, vale lembrar que 49,24% dos eleitores de Brasília ainda não definiram em quem votar, segundo pesquisa do Instituto Phoenix, registrada no TRE-DF, cujo número de registro é 07981/2018, quando foram ouvidos 1001 eleitores em todas as regiões da capital brasileira. O nível de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro é de 3% para mais ou para menos. O levantamento foi feito entre os dias 1º e 3 de setembro.

1º Rafael Prudente com 2,59%

2º Chico Vigilante com 2,39%
2º Agaciel Maia com 2,39%
3º Risomar Carvalho com 1,89%
4º Guarda Jânio com 1,59%

O primeiro colocado na pesquisa do Instituto Phoenix foi o deputado Rafael Prudente (MDB) e candidato a reeleição. Ele pontuou com 2,59%, enquanto que o deputado Chico Vigilante (PT) obteve a segunda colocação com 2,39%. O deputado distrital Agaciel Maia (PR), pontuou com 2,39%, empatado com o deputado petista. Em terceiro lugar ficou o novato Risomar Carvalho (PSD), ex-administrador de Samambaia, quando obteve 19 citações entre os 1001 entrevistados, correspondentes a 1,89%. Um pouco abaixo, com percentual de 1,59%, apareceu o Guarda Jânio (Pros), qualificado em quarto lugar no ranking da pesquisa do Instituto Phoenix. Vale lembrar que a pesquisa é espontânea, ou seja, quando o pesquisador pergunta em quem ele votaria sem apresentar nomes.

5º Jaqueline Silva com 1,49%
6º Eduardo pedrosa com 1,39%
7º Pastor Daniel Castro com 1,29%
7º Ricardo Vale com 1,29%
8º Claudio Abrantes com 1,19%

Dos 24 primeiros colocados, 15 são novatos que prometem mudança no parlamento candango, o que corresponde a 62,50% de sangue novo. Como quase a metade do eleitorado ainda não decidiu, acredito que a renovação passará de 70%. No quesito mulheres, apenas três estão entre os 24 primeiros na pesquisa Phoenix, mas os próximos 20 dias prometem uma campanha da ala feminina mais combativa nas ruas do DF e na mídia, objetivando empolgar 54% do eleitorado que é representado pelo sexo feminino. É importante informar, ainda, que 67% do funcionalismo do GDF é feminino
Outra referência importante e fundamental para o avanço das mulheres nesta campanha é a dianteira de Eliana Pedrosa para o Buriti e a posição privilegiada de Leila do Vôlei (PSB) para o Senado. 
Eliana defende forma efetiva os direitos da mulher

Leila lidera ao lado de Cristovam todas as pesquisas. De acordo com o Instituto Phoenix, Cristovam é o primeiro com 23,57%, enquanto que Leila é a segunda com 18,38%. Na pesquisa da Datafolha, Cristovam ficou em segundo lugar com 21% e Leila obteve 22%, ganhando o primeiro lugar na corrida para o Senado.
Vale lembrar que a pesquisa do Instituto Opinião, publicada pelo Correio Braziliense no dia 12 de setembro, Cristovam ficou em primeiro lugar com 28,90%, enquanto que a rainha das quadras de vôlei pontuou com 24,10% e defendeu o segundo lugar. Leila Barros conta com o apoio de renomados desportistas, como Zico e Lars Grael, que na última semana gravaram vídeos potencializando o projeto da colega do esporte e amiga. Nascida em Taguatinga, Leila ganhou o mundo e se torna aos poucos, e com a humildade que lhe é peculiar, a grande personalidade da disputa eleitoral no DF nestas eleições.

Cristovam tem 23,87% na pesquisa do Instituto Phoenix

Leila do Vôlei tem 18,38% no Instituto Phoenix

Como se vê, a eleição candanga pega fogo na reta final. O candidato ao parlamento distrital precisa se espelhar na premissa de que o pleito eleitoral, apesar de faltar 20 dias para a votação, na prática está só começando e todos têm chances, pois apenas metade do eleitorado se decidiu. O melhor ainda é que a maioria dos novatos que está ocupando na pesquisa as 24 vagas disponíveis, é formada por trabalhadores e não contam com dinheiro farto. O importante são as propostas, muita saliva, sola de sapato e demonstração de simpatia na abordagem ao eleitor.
Apesar de que as últimas eleições extemporâneas ocorridas em outubro do ano passado no Amazonas e no Tocantins este ano, quando a média dos que não foram votar passou de 50%, em Brasília poderá ocorrer diferente, e o índice de abstenção ser menor que nos referidos estados!  






segunda-feira, 10 de setembro de 2018

PESQUISA DO INSTITUTO PHOENIX CONFIRMA ELIANA PEDROSA NA FRENTE ELEIÇÃO É COISA DE PROFISSIONAL!


Eliana Pedrosa conta com o apoio de Dona Weslian Roriz
O apoio de Leila do Vôlei é fundamental para levar Rollemberg para o segundo turno
Por: Walter Brito
Tanto quem disputa uma eleição quanto os que assessoram candidaturas, principalmente majoritárias, precisam ser profissionais com sensibilidade e conhecimento dos meandros das coisas da política. O primeiro, caso não seja do ramo, mesmo com muito dinheiro no bolso, precisa ser um profissional no ouvir e tomar decisões e de acordo com o que é passado pelo segundo.  Este, faz-se necessário ter o feeling na política, como também saber interpretar pesquisa eleitoral quantitativa e qualitativa e, inclusive, criar fatos que façam o seu candidato decolar e, se for o caso, diminuir a rejeição.
No caso específico da eleição em Brasília, percebe-se que os dois líderes na pesquisa são bons ouvintes, por isso lideram e podem ir para o segundo turno. Vale lembrar que o governador socialista Rodrigo Rollemberg, no momento crítico de seu governo, teve rejeição que ultrapassava a casa dos 70%, e aceitação, na intenção de votos para a reeleição, na pergunta estimulada seu índice era de 0,5%. Isto mesmo, meio por cento de intenção de votos. As últimas pesquisas indicam que a rejeição de Rollemberg varia entre 45% e 48% e a intenção de votos de 12% a 15%, perdendo apenas para Eliana Pedrosa (Pros), que pontuou na estimulada de 15% a 18%. Na pesquisa registrada no TRE-DF pelo Instituto Phoenix, com número de registro - 07981/2018, Eliana continua em primeiro lugar.
A amostra da pesquisa foi colhida em todo o DF entre os dias 1º e 3 de setembro, quando foram ouvidos 1001 eleitores. Rollemberg pontuou com 12,08%, e a primeira colocada, Eliana Pedrosa, obteve 16,43%. A margem de erro é de 3% para mais ou para menos e o índice de confiança é de 95%.
Já na pesquisa da Datafolha publicada no último dia 6 de setembro, quando o trabalho da coleta de dados foi feita entre os dias 4 e 6 de setembro, Rollemberg pontuou com 15% e Eliana Pedrosa com 18%.
Voltando ao governador Rollemberg, tudo indica que alguém o alertou e ele ouviu, pois lançou Leila do Vôlei para o Senado. Ao lado da campeã mundial, sua rejeição diminuiu de forma efetiva. Sem a companhia de Leila, ele tinha dificuldade de comparecer em determinados lugares sem levar vaias. Leila foi sua secretária mais bem avaliada, e o seu carisma e facilidade de comunicação com o povo reaproximou o governador das pessoas mais humildes, que andavam revoltadas com ele.  Obviamente Leila Barros está ajudando Rollemberg viabilizar o projeto para o segundo turno.
Eliana Pedrosa, que lidera a corrida para o Buriti, é outra que está ouvindo com muita atenção seus marqueteiros. No último debate na TV Brasília, por exemplo, Eliana defendeu com entusiasmo a mulher negra, que é discriminada duas vezes: por ser mulher e negra.
Sabemos que a mulher branca ganha menos que o homem branco na mesma função. A mulher negra ganha muito menos, mesmo tendo boa escolaridade e exercendo funções semelhantes ao homem branco. Eliana acertou não só na questão étnica, mas está fazendo de forma veemente a defesa dos direitos da mulher.
Lembramos que 54% dos eleitores do DF é do sexo feminino e 67% dos funcionários do GDF são mulheres. Além disso, pesquisas indicam que nesta eleição as mulheres querem votar em uma candidatura do sexo feminino. Por estas e outras, Eliana está no páreo, acredito!
Rogério Rosso
Além de Eliana e Rollemberg, a maioria dos demais postulantes ao Buriti tem condição de reverter o jogo e disputar o segundo turno. Rogério Rosso (PSD) e Alberto Fraga (DEM), ambos com 10,98% na pesquisa do Instituto Phoenix, são fortes candidatos e, tanto um quanto o outro, têm condições de ir para o segundo turno.
Alberto Fraga
Rosso tem Cristovam ao seu lado, mas parece que não está sabendo tirar proveito da boa companhia, pois o senador Cristovam Buarque é certamente um grande eleitor e cabo eleitoral de proa. Fraga tem o segundo melhor programa de TV, que empolga os eleitores por meio de seu projeto de segurança pública.
Ibaneis Rocha
O programa de TV do candidato do DEM só perde para o programa do peemedebista Ibaneis Rocha. Este cresceu 2,49%, na pesquisa do Instituto Phoenix, após ter colocado a campanha nas ruas e a cara na TV. Ibaneis pontuou com 4,49%.
O advogado candidato tem afinidade com o povo nordestino que mora no DF e parte significativa dos advogados de Brasília, pois foi presidente da OAB/DF e é conselheiro federal licenciado da OAB nacional. Com uma boa estrutura de campanha, um excelente desempenho nos debates, está dando certo ao se colocar como o novo e afirmar que nunca foi político. Ibaneis poderá surpreender na reta final.
General  Paulo Chagas
O general Paulo Chagas (PRP), como Júlio Miragaya (PT), dependem para crescer do desempenho de seus candidatos ao Palácio do Planalto. No caso do general, a expectativa é a de que Bolsonaro aumente o seu percentual, pegando carona no atentado que sofreu na sexta-feira, dia 6. A meu ver, Bolsonaro não cresce mais, entretanto poderá disputar o segundo turno com o percentual que já tem.
Júlio Miragaya
Alexandre Guerra com 4,90%
Fátima de Souza com 2,45%



Ressalto que o jogo pesado que estava sendo preparado por seus adversários para sua desconstrução, tal qual foi feito com Marina Silva em 2014, poderá não acontecer. Após ter sido agredido em Juiz de Fora por Adélio Bispo de Oliveira, tudo que for feito pelos seus oponentes tem que se dar com muito cuidado.  Caso seus algozes insistam no projeto, Bolsonaro ficará como vítima e o tiro sairá pela culatra. Devido ao seu delicado estado de saúde, ele não terá mais mobilidade para percorrer o país, e sua campanha ficará limitada na TV e redes sociais. Desta forma, Paulo Chagas tem chances remotas para se tornar competitivo. Ele pontuou 7,59% na pesquisa em pauta.
Miragaya depende do desempenho da candidatura de Haddad. Na pesquisa do Instituto Phoenix, ele obteve 5,39%. Lembramos também que o PT sempre cresceu na reta final das eleições de Brasília. Outros fatores que contribuirão com o avanço do petista são as candidaturas: Chico Vigilante, disputando vaga para o parlamento distrital, com boa aceitação popular; Erica Kokay, que pleiteia a reeleição com chance de vitória para a Câmara e Wasny de Roure, muito bem posicionado rumo ao Senado.
Por isso, no mínimo, o petista Miragaya chegará aos dois dígitos. Caso Haddad consiga se viabilizar, certamente o candidato que disputa o Buriti se tornará competitivo.
Cristovam Buarque é o primeiro colocado na pesquisa Phoenix e segundo na Datafolha.

Na disputa para o Senado no DF, os favoritos são: Cristovam com 23,87% na pesquisa do Phoenix e 21% na Datafolha. A segunda colocada na pesquisa Phoenix é Leila do Vôlei com 18,38%. Ela ficou em primeiro lugar na pesquisa Datafolha, quando obteve 22% de intenção de votos.
Leila do Vôlei é a primeira colocada na Datafolha e a segunda no Instituto Phoenix.
O terceiro colocado para o Senado é Izalci Lucas, do PSDB. Na pesquisa do Instituto Phoenix ele obteve 15,38%, enquanto que na Datafolha sua pontuação foi de 20%. Uma incógnita rumo ao Senado no DF é a possível volta à disputa de Paulo Octávio (PP), que solucionou seus problemas jurídicos. Ele poderá retornar do Peru, onde se encontra, em seu famoso uniforme caqui de campanha. Neste sentido, PO passará 26 dias nas ruas de Brasília pedindo votos.
Izalci Lucas é o terceiro colocado nos dois institutos de pesquisas
Quanto à Câmara Federal, a disputa será uma das mais fortes da história política do DF. A pesquisa do Instituto Phoenix com 24 candidatos na pergunta estimulada e 12 que foram citados na mesma pergunta de forma espontânea, o que mostra o acirramento da disputa.
   Os oito primeiros na estimulada com os respectivos percentuais foram: Erika Kokay – 6,49%, Flávia Arruda – 4,79%, Júlio César – 4,29, Joaquim Roriz Neto - 3,89%, Maria Abadia – 3,09%, Hélio José – 2,59%, Celina Leão – 2,29%, Juraci Tesoura de Ouro – 2,29%. Veja as tabelas  completas abaixo para governador, senador e deputado federal.
  Como se vê, apesar de Brasília ter apenas 32 anos de disputas eleitorais, a cidade amadureceu politicamente e já temos na campanha  profissionais competentes e alguns que trabalharam em  países de primeiro mundo. Apesar das estrelas internacionais atuando no marketing político na cidade, aqui no DF temos muita gente boa e capaz de fazer campanhas no nível dos grandes centros, como São Paulo e Rio de Janeiro.
   Trata-se de profissionais que conhecem o cheiro do povo, são grandes analistas de pesquisas e conhecem o pulo do gato para decidir uma eleição, tal qual o baixinho Romário fazia na pequena área ao decidir uma partida de futebol. Ele hoje disputa a eleição para governador do Rio com possibilidades de ir para o segundo turno e até vencer o pleito.
   Quando em campo,  Romário fazia jogadas inimitáveis, principalmente na pequena área, quando o baixinho decidia muitas partidas no final do segundo tempo. Podemos compará-lo com as devidas diferenças do futebol e da política, com os craques  que pensam   política no DF. Se ouvidos por determinados candidatos, esses fenômenos do marketing político candango podem desequilibrar e marcar gol de placa, levando para o segundo turno um postulante com chances limitadas, pois política é coisa de profissional!
          Veja o resultado da pesquisa do Instituto Phoenix: governador, senador e deputado federal. Registro no TRE-DF número: 07981/2018.







domingo, 9 de setembro de 2018

O EX-JUIZ ADEMAR VASCONCELOS APOIA O PROFESSOR AARON PARA DISTRITAL

O professor Cláudio Aaron recebe o apoio do ex-juiz Ademar Vasconcelos
Por: Walter Brito
Dois homens de muito valor no Distrito Federal unem suas histórias nesta eleição. Trata-se do ex-juiz Ademar Vasconcelos e o professor de Inglês Cláudio Aaron. O primeiro construiu sua história como operador do Direito, especialmente na magistratura, quando se aposentou pela compulsória. Por meio de muitas lutas e vitórias, o Dr. Ademar foi juiz da Vara de Execuções Penais de Brasília, teve atuação destacada no escândalo do Mensalão e atuou uma boa parte de sua carreira na cidade de Planaltina-DF, quando mostrou trabalho sério, reconhecido pela comunidade.
Vale ressaltar que Planaltina pertencia ao Estado de Goiás e passou para o domínio do DF. No início da construção da capital brasileira, a cidade abrigou por décadas a zona boêmia, que era responsável maior pela criminalidade, como também a prostituição que prejudicou sobremaneira Planaltina, constituída em sua maioria de pessoas probas e trabalhadoras, que não aguentavam aquele mal que corrompia jovens e desfazia famílias, além da má fama que a região carregava.
O professor Aaron é uma das esperanças do PPS para o Parlamento Distrital
Homem de pulso firme e decidido, o ex- juiz Ademar colocou ali um ponto final, fechando a famosa zona boêmia, quando ganhou os aplausos daquele povo. Por outro lado, o professor de inglês Cláudio Aaron leciona para pessoas simples e também para as mais importantes personalidades do mundo político e econômico do DF, e, inclusive, desenvolveu por um bom período um trabalho social quando, sem nenhuma remuneração, lecionou para presidiários. Além disso, Aaron é tradutor internacional e já lecionou para a comunidade latina nos Estados Unidos da América. Nos EUA, o professor Aaron tem uma filha chamada Louanni Galvani, advogada de imigração, e tem a mesma determinação do pai.
A reportagem ouviu o ex- juiz e agora advogado Ademar Vasconcelos, que deu o seguinte depoimento sobre o seu apoio à candidatura de Aaron rumo ao parlamento distrital: “O Cláudio Aaron é um trabalhador incansável como a maioria do povo brasileiro. É bom caráter e tem serviços prestados na área educacional em nossa cidade. Seus valores como homem de bom senso, progressista e educador permitem o avanço de pessoas simples, que sonham com um futuro melhor. Diversas personalidades que passaram por suas mãos aprendendo inglês progrediram e ajudaram o Brasil a ampliar suas divisas no exterior. A educação de qualidade muda de forma efetivamente os destinos de um povo, e o Aaron é um realizador nessa área. Por isso, eu entendo que o professor Aaron está preparado para a hora certa, e Brasília precisa dele na Câmara Legislativa. E mais, sou filiado ao PPS e acredito na carta programática de nossa agremiação partidária dirigida nacionalmente pelo competente deputado federal Roberto Freire. Eu tinha a intenção de me candidatar nesta eleição a deputado distrital, mas por motivos particulares declinei de meu projeto. Como faço questão de continuar contribuindo com o desenvolvimento de Brasília, ajudando a eleger pessoas de bem e preparadas para o nosso parlamento distrital, eu escolhi o professor Aaron para dar todo o meu apoio. A eleição do professor Aaron certamente fará a diferença naquela Casa de Leis. Por acreditar na viabilidade de suas propostas, estou com ele e peço o voto dos leitores da revista O Parlamento! O seu número é 23000,” Concluiu o Dr. Ademar Vasconcelos!

terça-feira, 4 de setembro de 2018

BENA DOMINGOS ACREDITA NA FORÇA DA MULHER E APOIA ELIANA PEDROSA PARA O BURITI



A candidata Bena entre os pais, Dona Nair e o ex-vice-governador, Benedito Domingos


Por: Walter Brito

Desde o ano passado, os institutos de pesquisas do DF Cristal Pesquisas, O Parlamento e o Instituto Phoenix, são unânimes em afirmar que a mulher será protagonista da eleição que se aproxima. Neste sentido, a  reportagem do Diário da Manhã entrevistou com exclusividade a herdeira política do ex-vice-governador de Brasília Benedito Domingos, sua filha Bena Domingos (PTC), candidata a deputada distrital. Ela acredita na força feminina nestas eleições e disse que Eliana Pedrosa  (Pros), sua candidata ao Buriti, será a primeira governadora eleita pelo povo na história política da capital brasileira.  
A candidata do PTC é evangélica e construiu sua história trabalhando nas causas sociais. Bena tem 56 anos,  é mãe de quatro filhos e avó de sete netos. Na entrevista ela falou sobre a importância de seu pai em apoiar seu projeto rumo ao parlamento distrital, sua relação com a população menos favorecida do DF, e detalhou o discurso de campanha para conquistar o eleitor que anda muito arredio com a classe política e quer renovação. Ela argumenta que faz parte do grupo que nunca exerceu cargo eletivo, portanto se coloca como opção para renovar a Câmara Legislativa do Distrito  Federal. Veja a íntegra da entrevista.

Bena com o esposo Cláudio, filhos, netos, noras e genro

Indagamos à candidata sobre a sua relação com as causas sociais no DF. De forma desconstruída e demonstrando gostar do tema, Bena argumentou: “A menina de meus olhos sempre foi a área social e desde a minha juventude  eu trabalhei com crianças carentes".
Continua Bena:  Vale ainda ressaltar que o ponto alto de minha luta na área social se deu principalmente na Igreja Gileade, onde eu congreguei durante um bom período, oportunidade em que trabalhava orientando os meninos de rua da Vila Matias em Taguatinga-DF. Uma dessas crianças eu adotei quando ela tinha apenas sete anos e é hoje o Cácio, meu filho caçula com 24 anos. Casado e já pai de meu neto Moisés, o Cácio é um homem de bem, e segue sua vida como um excelente pai de família. Sou mãe de  três filhos naturais, criados junto com o Cácio: Alessandro, Leandro, Pauliene e a enteada Bruna. Todos me dão muito orgulho!

Bena Domingos com os pais e irmãos

Referente ao abandono dos idosos pelo poder público, a nossa entrevistada foi taxativa e respondeu com um exemplo que ela vivenciou: “Perdi minha sogra em 2011, quando o poder público mostrou com todas as letras que o idoso não é prioridade. Aos 87 anos, a minha saudosa sogra, na ocasião foi diagnosticada com necessidade de amputação e precisava de atendimento numa UTI em um hospital público. Infelizmente ela não foi atendida, pois a prioridade era para pessoa mais jovem. Ela faleceu pela ineficiência da saúde pública na capital brasileira. Fiquei muito indignada e não posso concordar com isso. As pessoas que trabalharam para desenvolver o país a vida inteira e na velhice  são descartadas e sua vida colocada em segundo plano. Caso eu me eleja, vou lutar e propor projeto ao governo para a construção de um hospital geriátrico de alto padrão para atender os idosos menos favorecidos”, arrematou Bena Domingos.

A família de Benedito Domingos e Dona Nair tem história em Brasília, o que certamente ajudará a Bena obter uma boa votação no dia 7 de outubro

Perguntamos para a herdeira política de Benedito Domingos como ela avalia as pesquisas que indicam que, nesta eleição, a maioria das mulheres pretende votar na própria mulher. Ela explicou de forma tranquila o que pensa sobre o assunto: “Somos 54% de mulheres no Distrito federal, além disso somos 67% dos funcionários do GDF, enquanto que na Câmara Distrital somos minoria e na Câmara Federal só temos uma deputada entre os oito parlamentares. Nunca elegemos em Brasília nenhuma senadora e nenhuma governadora. As redes sociais ajudaram a conscientizar a mulher de todos os rincões de Brasília e podem anotar aí: Vamos eleger uma bancada feminina nunca vista no DF; preencheremos parte significativa das oito vagas para a Câmara Federal, como também teremos um senadora mulher. E mais, Eliana Pedrosa será a primeira mulher eleita pelo voto popular para o Palácio do Buriti”, disse.
Pedimos à candidata para falar sobre o seu pai, Benedito Domingos. Ela não pestanejou e foi direto ao assunto: “Meu pai é meu ídolo e minha referência na vida e na política. Agora neste período da eleição, ele é sem dúvidas o meu grande cabo eleitoral. Homem de bem, com quase meio século de vida pública, quando foi administrador de Taguatinga, deputado federal por duas vezes, deputado distrital também por dois mandatos, vice-governador, presidente do PP no DF e dirigente nacional da legenda por muitos anos. Na iniciativa privada foi um vencedor desde sua juventude plena. É com esse currículo que meu pai tem reunido sua grande legião de amigos e amigas que ele fez na vida, quando pede votos para  ajudar  a me eleger deputada distrital e dar continuidade à sua luta em prol de Brasília e de seu povo. Eu aproveito para fazer uma referência a dona Nair Domingos, minha querida mãe e também minha heroína. Com muita sabedoria e fé, ela sempre aguentou firme os percalços da vida ao lado de meu pai. Estou feliz por estar nesta campanha e, por meio da reportagem do Diário da Manhã, eu peço com muito humildade os votos dos que conhecem o trabalho  da nossa família por Brasília, o meu trabalho na área social e o meu compromisso com os menos favorecidos. Podem ter a certeza de que caso eu tenha a oportunidade de ser eleita, o meu gabinete será a porta da esperança do povão, como sempre foi a casa de meu pai Benedito Domingos. Vote para Bena Domingos, número 36136 - Deputada Distrital,  e Eliana Pedrosa, número 90 – Governadora”. Concluiu Bena Domingos. 

Bena Domingos apoia e acredita na vitória de Eliana Pedrosa para o Buriti

domingo, 26 de agosto de 2018


ELEIÇÕES EM BRASÍLIA

BRIGADEIRO ÁTILA MAIA ENFRENTA PODEROSOS NA DISPUTA PARA O SENADO
Brigadeiro Átila Maia pontua com 3% para o Senado

Por: Walter Brito
Na eleição de 2014 no país, 888 militares de diversas patentes e de todas as forças se colocaram como candidatos. Em 2018, segundo o TSE, são 990 militares que concorrem a todos os cargos, ou seja; de deputado estadual e distrital ao cargo máximo que é presidente da República, o que corresponde a um acréscimo de 11%. A tomada do poder pelos militares por meio do processo democrático não é um pensamento só da caserna, mas também daqueles que entendem que os militares deixaram legado importante nos 21 anos que comandaram o país (1964/1985).
Vale ressaltar que a ditadura militar restringiu o direito do voto, a participação popular e reprimiu com muita autoridade todos os movimentos de oposição. Mas 33 anos após o regime militar, tudo indica que parte significativa de nosso povo tem saudade desse período de nossa história. A ascensão do capitão do Exército Jair Bolsonaro (PSL) nas pesquisas para presidente da República é um exemplo clássico. Ele é o segundo colocado em todas as pesquisas nacionais e só perde para o ex-presidente Lula (PT), encarcerado em Curitiba e com poucas chances de sair candidato.
Átila Maia enfrenta poderosos com poucos recursos financeiros

Na pesquisa da Datafolha, do dia 22 de agosto, Luiz Inácio Lula da Silva lidera com 39% de intenção de votos, enquanto que o capitão Jair Bolsonaro é o segundo colocado com 19%. Neste sentido, diversas empresas de pesquisas são categóricas em afirmar que Lula transfere para Fernando Haddad (PT),  percentuais que variam de 30% a 35% de seus votos, o que consolida a candidatura de Haddad com 11% e 14% respectivamente. Com esta análise, fica claro que Fernando Haddad e Jair Bolsonaro disputarão o segundo turno. A não ser que ocorra um grande terremoto em Curitiba, para impedir a transferência de  votos de Lula para Haddad e uma desconstrução em 40  dias pelos políticos de centro da candidatura de Bolsonaro, o que é pouco provável! Veja bem: Marina Silva (REDE), Ciro Gomes do PDT, Geraldo Alkmin (PSDB),  Henrique Meirelles do MDB e Álvaro Dias do Podemos não apresentam fatos novos para um crescimento e indicam patinar nas pesquisas até o dia 7 de outubro. Enquanto isso, a caserna e seus aliados travam uma disputa contra a militância petista, que é implacável!
Vale ressaltar que a nova ordem mundial permitiu mudanças efetivas no sistema de comunicação em nosso país, onde as redes sociais estão dominadas pelos que estão com a caserna e os que estão contra. Os contrários, a maioria reza na cartilha de Lula da Silva, que por meio das cartas do cárcere comanda blogueiros de plantão nos 5570 municípios brasileiros. O blogueiro-mor, Paulo Henrique Amorim, funciona como porta voz da campanha: Lula é Haddad e Haddad é Lula! A estratégia avança e impede o crescimento de Marina e de Ciro principalmente. Com isso, a militância se anima a cada dia. Centenas de Paulos Henriques Amorins surgem nos 27 estados da federação, ao tempo em que fabricam milhões de Lulas que se transformarão em Haddad no dia 7 de outubro. Nesta seara, a palavra de ordem, tanto na caserna como na militância petista, é a obediência. Obediência aos dois líderes do momento: Lula e Bolsonaro, que comandam os brasis divididos.
O jornalista e blogueiro, Paulo Henrique Amorim

Foi neste clima que estivemos na sede nacional do PRTB, localizado em um belo edifício comercial, no Setor Hoteleiro Norte no DF, quando entrevistamos o brigadeiro Átila Maia, candidato ao Senado pelo PRTB, mesmo partido do vice de Bolsonaro, o general Hamilton Mourão. É importante lembrar que o brigadeiro Átila, exerceu fora da caserna diversas atividades, entre as quais assessorou a Aeronáutica durante 25 anos no Congresso Nacional e foi o vice-ministro da Pesca, tendo como titular o atual prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella. O brigadeiro também é autor de um livro intitulado - Enfrentar: A Única Possibilidade. Em sua obra,  Átila mostra de forma clara que a maioria das pessoas tem dificuldades de resolver os seus próprios problemas. Ele ensina a arte de transformar a dor, o medo, a frustração, a decepção e a perda em energia realizadora, em favor da vitória final.
Pedimos ao amigo pessoal de Jair Bolsonaro que falasse sobre o seu projeto rumo ao Senado pelo PRTB. De forma sempre alerta  e antenado com o pensamento militar e também conhecedor do pensamento de fora da caserna, Átila foi direto ao assunto: “Eu me preparei para este momento. Cumpri a minha missão na carreira militar e convivo com o mundo da política há 25 anos, quando tive a oportunidade de trabalhar como assessor parlamentar da Aeronáutica no Congresso Nacional. Esta candidatura que abraço com muita fé representa uma oportunidade única para mim e também para o eleitor brasiliense que conheceu e está conhecendo na campanha  o trabalho que prestei ao Brasil. Por meio de minha experiência, certamente  ainda posso contribuir muito. Estou disponibilizando o meu nome, a minha capacidade técnica e  minha credibilidade ao povo de Brasília. Percebo nestes poucos dias da pré-campanha e agora em plena campanha rumo ao Senado, que apesar de ser um enfrentamento contra os poderosos da política, o nosso projeto está dando certo, pois já tenho 3% na maioria das pesquisas”, argumentou.
Perguntamos ao candidato Átila Maia qual a mágica que ele está fazendo para pontuar nas pesquisas enfrentando políticos profissionais e, um deles, o candidato mais rico do Brasil, superando inclusive a fortuna de todos os presidenciáveis. Ele respondeu de forma descontraída: “Embora eu já esteja à frente de pessoas conhecidas da política brasiliense, eu só gastei com a gasolina de meu automóvel, pois participo de diversas reuniões todos os dias no DF. É por meio de meu celular que disparo a maioria das notícias minhas que são lidas pelos eleitores na internet. Os textos são de minha autoria, sou o cinegrafista, o fotógrafo e o motorista de minha campanha. Estou produzindo pessoalmente meu material que entregarei pelas ruas de Brasília de mão em mão. Estou inscrito na plataforma de doações populares de onde vou tirar o sustento de minha campanha. Trata-se de uma doação simbólica de R$ 2,81. Este  é também o meu número e o meu eleitor poderá digitar na urna. Quem quiser doar uma quantidade maior, basta conservar o final do número. Por exemplo, caso ele tenha a intenção de doar entre duzentos e cinquenta e trezentos reais, a opção seria R$ 281,00, ou R$  1.281,00 , se tiver a intenção de ser mais de mil reais. Acredito na mudança e tenho a convicção de que a mudança ocorrerá, independentemente do poder econômico”, arrematou Átila Maia.
Referente à candidatura do capitão Bolsonaro para presidente da República, o brigadeiro Maia pontuou: “Trata-se de uma candidatura legítima que representa muito bem os anseios da sociedade neste momento  de instabilidade política e econômica, além da corrupção que é um câncer que impede o desenvolvimento da nação. Bolsonaro tem serviços prestados ao país, estou com ele e acredito firmemente em sua vitória. Ele escolheu como vice  o general do Exército Hamilton Mourão, que pertence ao meu partido, o PRTB. Obviamente  que um militar de alta patente complementa e fortalece  a chapa do Bolsonaro.  Estamos portanto na mesma coligação no plano nacional. No plano local eu apoio o general Paulo Chagas, que tem possibilidades reais de virar o jogo e vencer a disputa para o Palácio do Buriti. Acrescento ainda que a primeira suplente na minha chapa é a professora da rede educacional de Brasília, Sulamita Muniz”, disse Átila.
Perguntamos ao candidato do PRTB se a segurança pública tem  que ser focada na prisão de delinquentes. Ele argumentou de forma categórica: “Os governantes precisam entender que segurança pública é um conjunto de medidas, pois não adianta apenas combater a criminalidade, se não tivermos uma boa escola para todos, bem como a saúde pública  de qualidade e emprego para o nosso povo. Por isso precisamos desenvolver atividades econômicas em todo o DF e incentivar indústrias na região metropolitana de Brasília. As pessoas precisam ter empregos e receber dinheiro para o seu sustento. Caso contrário,  a alternativa será a marginalidade. Isso precisa ser ajustado. A juventude brasiliense tem vocação para a tecnologia. Portanto, precisamos de criar aqui um grande parque tecnológico, que vai propiciar  emprego e renda. Outra saída para dar emprego ao nosso povo seria a realização de grandes eventos nacionais e até internacionais, pois aqui, durante seis meses, não cai um gota d’água, o que facilita  abrigar eventos de grande porte”, opinou Maia.
A primeira suplente Sulamita Muniz e Átila Maia - 281

Nas despedidas desta entrevista, o brigadeiro disse que durante os 25 anos em que assessorou a Força Aérea Brasileira no Congresso Nacional, sua maior referência foi o saudoso senador Antônio Carlos Magalhães, pois era um político decidido, organizado e amava o seu trabalho no Congresso. “Não conheci nenhum outro igual. Aproveito para me despedir, oportunidade em que agradeço o espaço do jornal Diário da Manhã. Aos eleitores eu digo o seguinte: a decisão nas urnas no dia 7 de outubro é de cada um de nós. Você decide se quer mudar ou não”, concluiu.

domingo, 19 de agosto de 2018

WASNY DE ROURE ESTÁ NO PÁREO RUMO AO SENADO!


Wasny de Roure vai dar trabalho na disputa para o Senado


Por: Walter Brito

Política é coisa de profissional, e o deputado distrital pelo PT, Wasny Nakle de Roure, que está no jogo político desde a primeira legislatura do parlamento distrital, sabe tudo e mais um pouco do assunto. Nascido na capital de todos os goianos e cidade mais sertaneja do Brasil, o goiano de Goiânia tem mestrado em Economia na Universidade de Oxford na Inglaterra. Sua experiência de seis mandatos como deputado distrital, quando inclusive foi presidente daquela Casa de Leis, aliados ao mandato como deputado federal e outra suplência, o fazem decano e condutor com maior responsabilidade de um bom desempenho do PT na eleição que se aproxima, o que não será tarefa fácil, mas possível para quem é do ramo e pessoa de fé, como é o petista.
O Partido dos Trabalhadores em Brasília sempre foi diferente desde os seus primórdios. Uma de suas características é o seu crescimento no final de uma eleição. Foi assim com o médico Carlos Saraiva (PT), que ficou em segundo lugar para governador na nossa primeira eleição, com 24% dos votos do povo brasiliense. Da mesma forma o professor da UnB, Lauro Campos. Ele surpreendeu a todos os especialistas em eleições, ao se eleger senador pelo PT em 1994.  Como o seu companheiro Saraiva, Lauro Campos cresceu no final! Neste sentido, o ex-deputado Geraldo Magela (PT) no ano de 2002, obteve 626.428 votos para governador do DF, correspondentes a 49,38%, enquanto que Joaquim Roriz (PMDB) recebeu 642 256, correspondentes a 50,62%, ou seja; uma diferença de apenas 1,24%.  Magela quase ganha do Roriz no final da disputa. A vitória de Agnelo Queiroz (PT), contra Dona Weslian (PSC) em 2010, já estava escrita desde o primeiro turno e foi mamão com açúcar!
Entre os líderes do PT candango com maior experiência depois de Wasny, destacamos nesta reportagem a militante aguerrida Arlete Sampaio, que foi vice-governadora do DF; Geraldo Magela, ex-deputado federal, e Chico Vigilante, líder das pesquisas para deputado distrital; além de Erika Kokay que tem eleição praticamente garantida para deputada federal.
O velho guerreiro das causas sociais, defensor da ética e da moralidade, o economista Wasny de Roure, certamente é um dos quadros mais preparados para assumir o Senado Federal no mês de outubro. No que diz respeito às possibilidades da eleição do petista, obviamente que com o apoio dos companheiros citados acima fica mais fácil de ele entrar no páreo na disputa concorrida para o Senado. Wasny poderá surpreender muita gente, pois a fidelidade do voto petista na capital brasileira é muito forte.
Pesquisas qualitativas indicam que o amor da militância petista ao partido criado por Luiz Inácio Lula da Silva continua inabalável! Com as dificuldades enfrentadas pelo PT, sendo uma das mais fortes a prisão de seu líder maior, ainda assim o PT é a legenda mais querida pelas mulheres nos quatro cantos de Brasília. É o que afirma uma pesquisa feita recentemente pela empresa especializada em pesquisas sobre a mulher no país, a Scorpion Pesquisa da Mulher Brasileira.
Fernando Haddad e Manu prometem virar o jogo
A liderança de Chico Vigilante para a reeleição na Câmara Legislativa do DF é outro dado importante e fundamental nesta análise, bem como a boa performance da deputada federal Erika Kokay, que preside o PT no DF e pleiteia a reeleição. Se a eleição fosse hoje, de acordo com o Instituto Phoenix, registro no TRE- DF, 02743/2018, a petista presidente regional seria uma das mais votadas. 
Neste sentido, o projeto de Wany de Roure rumo ao Senado poderá obter sucesso pelo que já foi citado, bem como pelo apoio da militância petista que é implacável. Vale lembrar que como os problemas pelos quais passa o PT, alguns militantes costumam dizer por aí que, PT nunca mais! Entretanto, pesquisas qualitativas indicam, que quando estes mesmos militantes ouvem a musiquinha Lula lá, a recaída pelo PT é de 70%. Petista uma vez, quase sempre petista, dizem! 
Correio Braziliense, jornal de maior credibilidade em Brasília, publicou que Cristovam lidera na pergunta estimulada, uma pesquisa para o Senado, quando foi detectado que existe um empate técnico em segundo lugar entre Leila do Vôlei (PSB), Izalci Lucas (PSDB) e Chico Leite (PSB).  O terceiro colocado é o deputado Wasny, com 7,4%, diz a pesquisa. Com a tradição do Partido dos Trabalhadores ao crescer no final, certamente Wasny começa a incomodar a gregos e troianos!
Haddad recebe os conselhos de Lula para enfrentar a campanha
O efeito Lula, qualquer que seja o desfecho, preso ou fora da prisão, tecnicamente beneficia a candidatura de Wasny, pois se Lula não for candidato, o que é mais provável, o petista-mor será substituído por Fernando Haddad e Manoela D’Ávila. Ao que tudo indica, a dupla será a maior concorrente da dupla de militares que lideram as pesquisas para presidente do Brasil, formada por Jair Bolsonaro (PSL) e o general Hamilton Mourão (PRTB). Cientistas políticos são categóricos em afirmar que quanto mais tempo Lula permanecer como candidato, melhor para Haddad se cacifar, no que teremos um efeito cascata beneficiando o PT, principalmente àqueles que disputam cargos majoritários. Nesta seara, o desconhecido Júlio Miragaya, candidato do PT ao Palácio do Buriti, poderá levantar voo e pegar carona na asa de Wasny de Roure