terça-feira, 7 de novembro de 2017

FILIAÇÃO DE IBANEIS ROCHA NO PMDB: QUARTA-FEIRA, 08/11!

Ibaneis quer disputar a principal cadeira do Palácio do Buriti


Amanhã, dia 8 de novembro, às 19 horas, o advogado Ibaneis Rocha se filiará ao PMDB, na sede do partido, localizada no SCRLS 503 Sul, bloco B, loja 31. A intenção de Ibaneis é se candidatar ao governo do Distrito Federal na eleição de outubro do ano que vem. Certamente, será uma noite de muito movimento, quando atores do PMDB e de diversos partidos de oposição estarão presentes e atentos às palavras do ex-presidente da OAB/DF e atual conselheiro da OAB nacional, onde é secretário-geral adjunto.
Acredito que estarão de plantão, também, analistas do governador Rollemberg, que disputará a reeleição. Nesta seara, o atual governador dividiu o PSDB e consequentemente enfraqueceu a pré-candidatura do deputado Izalci Lucas, que já liderou as pesquisas para governador ao lado de Jofran Frejat. O tucano ainda luta para disputar a principal cadeira do Buriti, mas sabe que a investida do governador pessebista é pra valer e conta com a conivência de tucanos de alta plumagem. Estes respaldaram a entrada de Maria Abadia no atual governo do DF, onde é uma poderosa secretária de Estado. Como tucana do bico grande, ela tem planos para ser a vice de Rollemberg.
Vale ressaltar que Rodrigo Rollemberg já teve 80% de rejeição em seu governo, e sua rejeição pessoal chegou a casa dos 50%. Na pergunta estimulada de intenção de votos, o atual governador no mês de maio deste ano não passava de 1%. Nas últimas pesquisas de avaliação do governo, o Instituto Cristal Pesquisas identificou que a gestão administrativa do governo melhorou de forma significativa. No que diz respeito a sua rejeição pessoal, baixou de 50% para 31%. Na tabelinha de intenção de votos para governador, ele já alcança 5% e se coloca em quinto lugar, quando o nome de Reguffe entra na disputa. Neste caso, Reguffe é o primeiro e bem distante do segundo, que é Jofran Frejat. Como Reguffe anunciou aos quatro ventos que não será candidato ao governo, quando o instituto retira o seu nome da pergunta estimulada, Rollemberg passa automaticamente para o quarto lugar.
É importante ainda analisar que quanto mais candidatos na disputa ao GDF, melhor para Rollemberg. Um outro dado trata-se da abstenção no dia da eleição, que ao que tudo indica será a maior da história política de Brasília, o que favorece quem está com a máquina nas mãos. Em vista disso, a filiação de Ibaneis, a nosso ver, não divide a oposição, ao contrário convida os pré-candidatos ao GDF e opositores do atual governador para uma reflexão ampla e uma possível unidade na diversidade. Apesar das diferenças ideológicas dos grupos que estão na oposição, faz-se necessária uma união para convencer o eleitor de Brasília a votar num projeto diferente do que governou Brasília nos últimos anos, especialmente o governo do PSB. A unidade deve se dar, mesmo que os grupos tenham pensamentos diversos, mas que o objetivo seja o de salvar Brasília.

Entendemos ainda que para o bem da capital federal, é fundamental a união dos limpíssimos, limpos e os mais ou menos limpos. Os que estiverem completamente fora desses padrões, até podem ajudar, mas nos bastidores! Acreditamos firmemente que, a partir de agora, os grupos precisam definir um candidato até o mês de março. Quem estiver melhor na opinião popular tem que ser o candidato. É claro que muitos estão entrando no processo eleitoral agora, diferentemente de alguns que estão fazendo campanha há quatro anos. Por isso é necessário zerar a corrida, dando oportunidade para todos se viabilizarem de forma democrática. No mês de março, a decisão acontece sem conversa fiada. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário