quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

A POPULARIDADE DA PRIMEIRA-DAMA MICHELLE BOLSONARO!

A elegância de Michelle ultrapassou as fronteiras do Brasil e repercutiu no exterior


Por: Walter Brito
A Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS, caiu na graça dos brasilienses e brasileiros de todos os rincões, por meio da primeira-dama Michelle Bolsonaro no dia 1º de janeiro, na posse do seu marido e presidente da República Federativa do Brasil, Jair Messias Bolsonaro.  A façanha da menina humilde de Ceilândia, que virou notícia no planeta, quando quebrou o protocolo no Parlatório do Palácio do Planalto, para muitos, deixou o governo do capitão e dos generais mais simpático e leve. O discurso proferido por Michelle, em Libras, dirigido a uma plateia de 115 mil pessoas na Praça dos Três Poderes e milhões de pessoas Brasil e mundo afora, via internet e televisão, inclusive assistido na Casa Branca por Donald Trump, certamente teve sua importância ao mostrar o lado humano do novo governo!
A primeira - dama discursa em Libras, antes do pronunciamento do chefe da nação

Entendemos que a construção de uma sociedade solidária se complementa por intermédio de ações que igualem os cidadãos, quando são ofertados pelo poder público serviços essenciais de qualidade para todos, tais como saúde, educação, segurança, emprego, e o povo é tratado com respeito e dignidade. O aceno de Michelle, direto e sem intermediários, para 55 milhões de brasileiras e brasileiros, ou seja, 25% da população que tem algum tipo de deficiência, incluindo aí de forma especial a população surda, nos chamou a atenção! Embora criticada por alguns, analistas das mais diversas correntes são categóricos em afirmar que a atitude inusitada da primeira-dama brasileira mexeu não só com surdos e deficientes, mas com a sensibilidade de muita gente em nosso país e em outros países do mundo, especialmente nações em desenvolvimento. De acordo com a ONU, estes países concentram 80% dos deficientes.
Ressaltamos ainda que o total de deficientes no planeta chega à casa de 700 milhões de pessoas. A Organização Mundial de Saúde pontua que 950 milhões de pessoas poderão ter surdez até 2050, o dobro de hoje, que representa cerca de 470 milhões, entre os quais 38 milhões são crianças com algum problema auditivo. No Brasil, aproximadamente 33 milhões de pessoas têm algum tipo de deficiência auditiva, correspondente a 15% da população, dizem as últimas estatísticas. Talvez por isso, quando Michelle apareceu no parlatório, antecipando o chefe da nação com o seu discurso, o sucesso foi tão grande! Apesar da quebra de protocolo, Michelle cativou a gregos e troianos, com muita simpatia e elegância em seu vestido feito com zibeline de seda rosa, desenhado especialmente para o evento, pela estilista carioca, Marie Lafayette.
Michelle Bolsonaro ao lado do pai, Paulo Negão

Em seu discurso, a ex-assessora parlamentar da Câmara dos Deputados, a filha do motorista de caminhão Paulo Negão, disse de forma contundente em língua de sinais: “Gostaria, de modo muito especial, de dirigir-me à comunidade surda, às pessoas com deficiências e a todos aqueles que se sentem esquecidos: vocês serão valorizados e terão seus direitos respeitados. Tenho esse chamado no meu coração e desejo contribuir na promoção do ser humano”, disse. A simplicidade da primeira-dama que nasceu na periferia de Brasília, filha de uma dona de casa e de um afrodescendente, motorista de caminhão, tem conquistado as pessoas por onde passa. Outro dia, com a mesma simplicidade que lhe é peculiar, Michelle convidou seus amigos evangélicos para um tour pelo Palácio Alvorada, onde reside com o presidente Bolsonaro. Pelo seu comportamento singelo nos primeiros dias na relação com o poder, tudo indica que a nova vida não lhe subiu à cabeça.

Michelle Bolsonaro recebeu amigos para visita ao Palácio da Alvorada


O DEPOIMENTO DE JOÃO MIRANDA – GALETERIA BEIRA - LAGO

 
Michelle Bolsonaro com o restauranter João Miranda, na Galeteria Beira - Lago no DF
Em uma conversa informal com o restauranter João Miranda, proprietário da Galeteria Beira-Lago, point frequentado nos últimos anos por Jair Bolsonaro e seus familiares, Miranda comentou o discurso de sua cliente no restaurante de sua propriedade, quando falou da esperança que os brasileiros têm pelo novo governo: “Sou cearense de nascimento e brasiliense de coração. Tanto os meus conterrâneos nordestinos, como os brasilienses e brasileiros de todos os cantos, percebo que todos estão com as esperanças renovadas em relação ao governo do presidente Jair Bolsonaro, o qual tenho a honra de ter como cliente, juntamente com seus familiares. A nossa primeira-dama Michelle fez questão de almoçar aqui na Galeteria Beira-Lago, após a vitória de seu marido para presidente da República, o que mostra que sua simplicidade continua intacta e certamente conquista brasileiros de todas as tendências. O seu belo discurso feito em língua de sinais surpreendeu a todos e indica que as diversas classes sociais serão olhadas pelo poder público, inclusive os surdos e os demais deficientes, de forma especial! Sabemos que esse tratamento não foi dado em muitos de nossos governos e, obviamente, o discurso da primeira-dama chamou a atenção do mundo”, argumentou João Miranda.
A genialidade de um autor desconhecido mostra claro e de forma inimitável algo que cala fundo no coração dos que não escutam. Veja: “O silêncio torna-se uma barreira entre surdos e ouvintes, mas a Língua de Sinais pode quebrá-la”. A leveza e a espiritualidade aguçada permitiram a Michelle entrar com muita força no coração de brasileiros dos 27 estados da federação, mesmo quando alguns guardam ressentimentos da recente campanha política! Entendemos que os novos governantes precisam contemplar a todos com suas medidas, em prol da união e o desenvolvimento de nosso País. Neste sentido, eu faço deferência ao pensamento do escritor Franz Kafka: “A solidariedade é o sentimento que expressa o respeito pela dignidade humana”.
Desejo boa sorte à nossa primeira-dama Michelle e ao seu esposo Jair Bolsonaro na condução do Brasil, que é maior do que ideologias. Por isso é fundamental a unidade na diversidade, ou seja, mesmo que tenhamos pensamentos diversos, o objetivo comum dos 220 milhões de brasileiros é a ordem e o progresso nesta pátria amada chamada Brasil!


Nenhum comentário:

Postar um comentário